sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

A Iniciação

Charles Evaldo Boller

Sinopse: Considerações a respeito da jornada iniciada por ocasião da iniciação.

Questionamentos a um profano:
- Que instrumentos são utilizados para desbastar uma pedra bruta?
- Uma marreta!
- Que são as lascas que caem?
- Cascalho, ora!
- Que encontramos no interior de uma pedra bruta?
- Mais Cascalho!

No mais absoluto sigilo, o processo de iniciação começa com a proposta de um cidadão por um mestre maçom. Efetuam-se diversas investigações. Só pessoa de destacadas características é desejada e introduzida na ordem Maçônica numa cerimônia especial determinada a testar seu valor. Considera-se que o indivíduo está sendo cortado de uma pedreira, a sociedade, e que mesmo com suas qualidades e erudição reconhecidas ele ainda apresenta uma forma tosca, repleta de imperfeições. A caminhada inicia em cegueira profunda, total inexistência de Luz, representação de sua condição em estado bruto em termos maçônicos, tanto intelectual como espiritual. A venda sobre seus olhos representa seus primeiros passos em total dependência, ignorância e sem iniciativa. Tomam-lhe as posses, a roupa, colocam um laço em seu pescoço à semelhança de um enforcado e calçam um pé com um ordinário e rústico chinelo. Faz seu testamento e preenche formulário com uma série de perguntas para simbolizar um novo nascimento, é quando morre para o mundo profano, para então reviver na cerimônia de iniciação. Passa a efetuar viagens simbólicas e é submetido às provas dos quatro elementos: Terra, água, ar e fogo. São apresentados seus deveres básicos: Absoluto silêncio sobre tudo o que viu e ouviu; vencer as paixões; praticar a solidariedade, socorrendo outros maçons, encaminhando-os a praticarem o bem; é-lhe exigida a crença num princípio criador, baseado no conceito de Grande Arquiteto do Universo, cuja manifestação só se faz sentir onde as pessoas se tratam como irmãos e se entre eles reinar o mais profundo Amor; sujeitar-se ao regulamento da loja, aos estatutos, constituições e Landemarques. Depois disto lhe é revelada a Luz.

No dia de sua iniciação o maçom inicia uma jornada que durará o resto de sua vida. Passa a construir a si próprio por utilizar-se das ferramentas que estão espalhadas pelas oficinas maçônicas. A Maçonaria propicia as ferramentas, ele a matéria prima, a pedra. Ele é a pedra. E somente ele a pode trabalhar, porque só ele tem o poder e a capacidade de modificá-la. E assim burilada, por quem tem o interesse maior, vai resultar um ser humano que sabe equilibrar Amor, Vontade e Intelecto, constituindo este o centro do grande tema da Maçonaria. Desbastar a pedra bruta é tarefa individual que os Maçons perseguem nem tanto em sentido estrito da moral e da ética, porém, mais na dimensão da elevação espiritual e aprimoramento de caráter em seu sentido mais lato. As lascas, o cascalho, que caem neste trabalho são os defeitos e imperfeições, como preconceitos, ignorância, fanatismo, orgulho, e outros. E só depois de disciplinada e diligente atividade no desbaste de sua pedra bruta é que o iniciado vai encontrar, lá dentro de si, o espírito, a alma, o transcendental.

Que o Grande Arquiteto do Universo ilumine e guarde os iniciados em nossos augustos mistérios!

Bibliografia:

1. BECK, Ralph T., A Maçonaria e Outras Sociedades Secretas, As Grandes Perguntas da História, título original: La Masoneria, tradução: Ciro Aquino, ISBN 85-7665-095-6? Primeira edição, Editora Planeta do Brasil Ltda., 190 páginas, São Paulo, 2004;

2. CAMINO, Rizzardo da, O Aprendizado Maçônico, Biblioteca do Maçom, Nº 24, primeira edição, Editora Maçônica a Trolha Ltda., 176 páginas, Londrina, 1993;

3. JAKOBI, Heinz Roland, Graus Sombólicos Compêndio Maçônica, ISBN 978-85-7252-230-4, primeira edição, Editora Maçônica a Trolha Ltda., 334 páginas, Londrina, 2007;

4. LACERDA JÚNIOR, Luiz Antonio Grieco e, Maçonaria, Manual do Candidato, primeira edição, Grande loja do Estado de São Paulo, 119 páginas, São Paulo;

5. NALLY, Luis Javier Miranda MC, Iniciação, ISBN 978-85-7252-246-5, primeira edição, Editora Maçônica a Trolha Ltda., 236 páginas, Londrina, 2008;

6. SOUTO, Élcio, O Iniciado, Drama Cósmico Maçônico, ISBN 85-7374-331-X, primeira edição, Madras Editora Ltda., 106 páginas, São Paulo, 2001;

7. SPOLADORE, Hercule, O Homem, o Maçom e a Ordem, ISBN 85-7252-204-2, primeira edição, Editora Maçônica a Trolha Ltda., 194 páginas, Londrina, 2005.

02/09/2008

Sinopse do autor: Charles Evaldo Boller, engenheiro eletricista e maçom de nacionalidade brasileira. Nasceu em 4 de dezembro de 1949 em Corupá, Santa Catarina., com 61 anos de idade.

Loja Apóstolo da Caridade 21 Grande loja do Paraná

Local: Curitiba

Grau do Texto: Aprendiz Maçom

Área de Estudo: Filosofia, Maçonaria, Ritualística, Simbologia

Nenhum comentário: