quarta-feira, 29 de outubro de 2014

A Moral Maçônica, o Estado de Direito, a Política e a Liberdade de Pensamento


Autor: Equipe da Excelsa Loja de Perfeição General Clodomiro Nogueira

Sinopse: Atuação do maçom em Moral Maçônica, Estado de Direito, Política e Liberdade de Pensamento.

Moral maçônica, estado de direito e política são três frentes onde o maçom atua para auxiliar a sociedade no difícil caminho da evolução.

O Estado não é um patrimônio como outros, é composto por homens sobre os quais o Estado tem direito de mandar e dispor. Comparado a uma árvore seria um tronco que possui sua particularidade e raízes próprias. A Maçonaria considera a todos os partidos políticos como variações de absolutismo, daí não se envolve em debates político-partidários, entretanto, estuda política como ciência e filosofia.

A Maçonaria e sua filosofia político-social tem a pretensão de desenvolver homens prudentes para dirigirem as coisas do Estado. São entusiastas que estão motivados a regenerar um Estado que foi arruinado por tiranos. Daí o valor de um Estado ser contabilizado pelos valores dos indivíduos que dele fazem parte: o Estado que imbeciliza, irrita e torna os homens dóceis desenvolve pessoas sem expressão. A Maçonaria atua neste viés de desenvolver homens de escol para modificar para melhor o Estado que fica ao léu das ideologias absolutistas, onde entram os partidos.

A vida do homem feliz conta com liberdades de ação e de pensamento. O maçom, em seu filosofar, entende que deve lutar pela liberdade, que não implica em agir de uma forma ou de outra. É um processo educativo que deduz ser a liberdade o equilíbrio entre o que se pensa e uma ilibada conduta moral. A liberdade de pensamento vem de liberdade de escolha, do grego "hairesis", ou heresia. A conquista da possibilidade de cometer heresia é a maior expressão de liberdade obtida por muitas lutas e constitui um dos valores mais significativos dos últimos tempos.

Em sendo ciência, a Maçonaria desapareceria se não preconizasse suas ações pela liberdade de pensamento. O pensamento do maçom é ilimitado, é onde tem liberdade absoluta. As obras, a oratória e a escrita, no entanto, devem ser moderadas pela racionalidade: o pensar não ofende! O que já não acontece com as expressões faladas, escritas e ações.

A moral é fundamento que suporta o respeito ao Estado de Direito, a política como ciência e a liberdade de pensamento. Moral é o alicerce destas coisas assim como a verdade é da moral. Na ordem maçônica é comum desenvolver esperança, coragem e firmeza para que a mente se enquadre na moral. É a razão de filosofar! De a Maçonaria trabalhar constantemente os processos racionais. Todo procedimento moral é um processo racional. O homem pode até ser criatura que vive de barganhas, mas se tiver devoção para com a verdade como centro da moralidade, então esta é a forma heroica e devotada dos atos do maçom que assume a responsabilidade da liberdade de pensar.

O objetivo da ordem maçônica é desenvolver a espiritualidade do maçom para diferenciá-lo da grande massa de pessoas sem rumo, perdidas e escravizadas pelo capitalismo selvagem, cuja dinâmica de convivência é causa da violência cada vez mais ampla. A falta de amor é tida pelos estudiosos como a maior causa da escalada da violência em todos os tempos. Onde a espiritualidade tem o potencial para desenvolver o amor entre as pessoas. A falta de princípios morais, consequência da baixa espiritualidade, agrava em muito, esta triste realidade. Em sendo a espiritualidade a capacidade intrínseca que cada pessoa possui latente em si, basta lhe serem reveladas estas capacidades naturais para que ela se modifique. De sua livre vontade surgem mudanças de atitude para consigo mesmo, família, sociedade e por consequência afetar todo o ser vivo global que uns denominam Gaia e outros de Biosfera da Terra.

Sem entrar nos deméritos das razões em virtude dos resultados, as religiões não estão conseguindo administrar o desenvolvimento desta potencialidade a contento e apontar os rumos para o amor. O maçom que entende a intenção da Maçonaria, mesmo que imerso pela propaganda e a mídia comandada pelo sistema de lucro extremado, se desenvolve em resultado da prática da liberdade de pensamento. A Maçonaria, através de seus homens, muda rumos: basta ao maçom desejar e agir neste sentido. Mesmo não sendo religião, a Maçonaria e sua filosofia, levada a sério, desenvolvem a capacidade espiritual para o exercício do amor.

É objetivo dos estudos maçônicos promoverem a paz desde os menores grupos sociais como família e comunidade, até alcançar o país e o restante do mundo. O alvo são todos os lugares onde ocorrem necessidades de observar bons relacionamentos entre pessoas, dos mais diversos grupos étnicos, culturais, socioculturais, línguas, religiões, políticos, maneiras de agir, e outras possíveis características que criam grupos estanques.

Fonte:
Seminário Filosófico 2014 da Excelsa Loja de Perfeição General Clodomiro Nogueira, Primeira Região Litúrgica do Paraná, Supremo Conselho do Grau 33 do Rito Escocês Antigo e Aceito da Maçonaria para a República Federativa do Brasil.

Colaboradores:
Alexandre Manoel Varela;
Charles Evaldo Boller;
Dowglas Fernandes Sousa;
Eloy Jaime Boller;
Fabriccio Petreli Tarosso;
Francisco Adolfo Vianna Martins;
Jeferson Leon Bastos;
Luiz Fernando Dietrich;
Romildo Nunes Ferreira;
Vanderlei Castellon Ré;
Willian Jose Alexandre.

Rito: Rito Escocês Antigo e Aceito
Grau do Texto: Aprendiz Maçom.

Nenhum comentário: